Sanofi Só para não profissionais de saúde residentes no Brasil

Dulcolax: 3 fatos sobre laxantes

Sabe-se que, em média, 23% da população de todo o planeta sofre com constipação intestinal1 - a tão incômoda prisão de ventre, e que ela tem um impacto negativo significativo na vida de quem tem dificuldade em ir ao banheiro regularmente2.

Afinal, evacuar menos que três vezes por semana, apresentar fezes duras e ter de se esforçar durante a visita ao banheiro são alguns dos sinais que caracterizam a constipação1.

Por isso, investir em estratégias para fazer o intestino funcionar como um relógio é importante para melhorar a qualidade de vida2. Além de mudanças pontuais na alimentação, como a inclusão de fibras e de uma boa hidratação3, os laxantes também podem ser usados para aliviar o problema.

Veja abaixo três fatos sobre eles, já que fazem parte das estratégias de tratamento para alívio desse problema.

  • 01 - Não causam dependência: apesar de ser um temor comum, é importante saber que laxantes como Dulcolax não provocam dependência, ou seja, não viciam e não causam abstinência após a interrupção da dose4.

    No entanto, se houver o uso de uma dose inadequada e excessiva, e ela tiver provocado diarreia, é possível que, pelo intestino estar quase vazio, a próxima evacuação espontânea demore algum tempo. No entanto, essa demora para evacuar não está ligada à dependência ao medicamento, tampouco relacionada com o uso de laxantes nas doses recomendadas em bula ou por um médico4.

    Além disso, não há indicação de que os laxantes provoquem a chamada constipação rebote, quando o intestino se tornaria preguiçoso depois da interrupção do medicamento, voltando ao quadro de prisão de ventre4.
  • 02 - Não provocam danos ao intestino: ao contrário do que muita gente pensa, os laxantes estimulantes como Dulcolax não provocam danos ao intestino4, pois não há evidências de que este medicamento possa provocar problemas ao sistema nervoso autônomo do intestino4. A ação do laxante se resume em facilitar a evacuação, aliviando o desconforto em decorrência da prisão de ventre.

    Para entender melhor, Dulcolax age estimulando os movimentos intestinais e promove o acúmulo de água na região, o que por sua vez auxilia o amolecimento das fezes, e estimula a evacuação5. Além disso, Dulcolax, por agir em uma parte específica do intestino, não atrapalha a digestão ou absorção de nutrientes essenciais5.
  • 03 - Tolerância ao medicamento é incomum: com o uso de laxantes em longo prazo, a possível tolerância e consequente necessidade de aumentar a dose para obter os mesmos efeitos é também uma preocupação entre muitos4. No entanto, essa tolerância é algo incomum para a maioria das pessoas4.

    Estudos com o princípio ativo de Dulcolax não demonstraram essa ação, e o que se conclui é que a necessidade de aumentar a dose pode estar ligada à piora da prisão de ventre com o tempo, e não a uma tolerância ao medicamento4.

Referências

Você está saindo do site Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda, (doravante “sanofi-aventis”) pertencente ao Grupo Sanofi.

O site vinculado não está sob o nosso controle, assim como não temos responsabilidade pelos conteúdos fornecidos, processamento de dados pessoais ou qualquer alteração ou atualização desses sites.

Este link é fornecido para você apenas como uma conveniência.

Você quer continuar?